DOENÇA TIREOIDIANA E AS ALTERAÇÕES OCULARES

O QUE É TIREOIDE?

            A tireoide é uma glândula em forma de borboleta localizada na base da frente do pescoço. A glândula tireoide regula o hormônio tireoidiano que desempenha um papel importante na regulação do metabolismo corporal.

O QUE SÃO EUTIREOISDISMO, HIPERTIREOIDISMO E HIPOTIREOIDISMO?

            E eutireoidismo é quando o nível de hormônio tireoidiano no sangue é normal. Quando a glândula tireoide funciona mal, ela pode produzir muito hormônio (hipertireoidismo) ou muito pouco (hipotireoidismo). Qualquer desequilíbrio pode causar uma variedade de sintomas. Quando a produção anormal de hormônios está associada a um anticorpo agressor, podem ocorrer sintomas oculares (doença de Graves), às vezes, independentemente dos níveis sistêmicos do hormônio. Em alguns casos, o hipertireoidismo pode ocorrer sem doença ocular.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DO HIPERTIREOIDISMO?

            Os sintomas típicos do hipertireoidismo incluem fadiga, batimento cardíaco acelerado, perda de peso, intolerância ao calor, queda de cabelo e diarreia. O hipotireoidismo também pode causar fadiga, mas com batimentos cardíacos lentos, prisão de ventre e ganho de peso.

QUEM PODE APRESENTAR MANIFESTAÇÃO OCULAR DA DOENÇA DA TIREÓIDE?

            Embora os distúrbios oculares da tireoide ocorram em qualquer idade, a idade média de início é de 45 anos. Há três vezes mais mulheres com distúrbios oculares do que os homens. A doença de Graves é uma doença autoimune e pode ser mais provável em pacientes com outras doenças autoimunes (por exemplo, diabetes tipo I, artrite reumatoide)

            A doença ocular da tireoide está associada principalmente ao hipertireoidismo da doença de Graves, embora às vezes ocorra em pacientes com hipotireoidismo ou eutireoidismo. Os fumantes de cigarro correm maior risco de sofrer de doença ocular da tireoide e podem ter um curso mais grave e prolongado da doença.

O QUE CAUSA A MANIFESTAÇÃO OCULAR NA DOENÇA DA TIREÓIDE?

            O sistema imunológico normal do corpo distingue claramente entre tecido corporal e tecido ou substâncias estranhas. Os distúrbios autoimunes são caracterizados pela produção de anticorpos contra o tecido normal. A doença de Graves é causada por um ataque anormal de anticorpos à glândula tireoide, que geralmente resulta em excesso ou subprodução do hormônio tireoidiano. Esse mesmo anticorpo pode atacar os tecidos oculares e causar vários sintomas oculares.

A ANORMALIDADE DA TIREÓIDE CAUSA A DOENÇA NOS OLHOS?

            Não, os problemas da tireoide e dos olhos são manifestações independentes da anormalidade autoimune subjacente e dos anticorpos anormais. É importante perceber que a doença ocular da tireoide pode ocorrer mesmo quando o paciente é eutireoideo.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DA MANIFESTAÇÃO OCULAR DA DOENÇA DA TIREÓIDE?

            Quase todos os sintomas da doença ocular da tireoide surgem como resultado do inchaço dos tecidos ao redor do olho. Irritação ocular, vermelhidão, sensibilidade à luz (fotofobia), inchaço palpebral e retração palpebral são sintomas iniciais típicos.

            O inchaço do tecido adiposo (gordura) normal na cavidade ocular pode empurrar o olho para a frente, criando protrusão de um ou ambos os olhos (chamada de proptose; Figura 1). A proptose pode distender e/ou comprimir o nervo óptico, potencialmente causando visão embaçada, prejuízo da visão de cores e perda permanente da visão. O inchaço também pode envolver os músculos ao redor do globo ocular, resultando em menor capacidade de mover livremente o olho nas várias direções. Isso pode causar desalinhamento dos olhos (estrabismo) e visão dupla (“diplopia”).

Figura 1. Paciente com exoftalmia e retração palpebral de ambos os olhos (Fonte: https://eyewiki.org/Orbital_decompression)

COMO É TRATADA A MANIFESTAÇÃO OCULAR DA DOENÇA DA TIREÓIDE?

            Se houver suspeita de um distúrbio da tireoide, são indicados sua avaliação e tratamento adequados. A primeira prioridade é restaurar a condição eutireoidea. As condições oculares devem ser avaliadas e tratadas simultaneamente com o tratamento da glândula tireoide. Às vezes, os problemas oculares continuam a progredir mesmo depois que a tireoide volta ao normal. Os problemas oculares devem ser avaliados e tratados por um oftalmologista.

            O tratamento depende da gravidade e do grau de atividade da doença. Pode ser classificado da seguinte forma:

Complicações que ameaçam a visão: Existem duas complicações que podem causar perda de visão no paciente. Estas devem ser cuidadosamente procuradas e tratadas prontamente para preservar a visão.

1) Compressão do nervo óptico pelos tecidos inchados: isso pode ser gerenciado por esteroides orais e, em casos não responsivos, pode ser realizada cirurgia para remover os ossos ao redor do olho para aliviar a compressão. Este tratamento pode causar piora temporária dos sintomas.

2) Úlcera da córnea devido ao ressecamento severo causado pela proptose e dificuldade de fechar totalmente as pálpebras: isso pode ser tratado clinicamente através da lubrificação com colírios / pomadas, do fechamento das pálpebras durante à noite ou mesmo cirurgia para fechar as pálpebras e proteger os olhos.

Doença ativa: Os tecidos ficam inflamados o que é visto pela presença de inchaço, vermelhidão e dor. O ressecamento e exposição da córnea geralmente requerem a aplicação frequente de lágrimas artificiais, oclusão do ponto lacrimal ou fechamento das pálpebras à noite. A diplopia (visão dupla) pode ser tratada com prismas nos óculos e / ou ocluindo um dos olhos. Dependendo do grau de atividade, o médico pode prescrever um curso de esteroides para controlar a reação imune anormal. Outros medicamentos podem ser adicionados. O período ativo, que pode durar vários anos, requer monitoramento cuidadoso até que esta fase se estabilize.

Fase inativa, estável e fibrótica: esta fase inclui proptose, estrabismo (causando visão dupla) e retração palpebral. Às vezes, a cirurgia de descompressão orbitária é realizada para tratar da proptose desfigurante, mesmo que a visão não seja comprometida. Como a cirurgia de descompressão pode alterar o alinhamento dos olhos e / ou a posição da pálpebra, é preferível realizar a cirurgia de descompressão antes do estrabismo ou da cirurgia da pálpebra. A diplopia estável pode ser melhorada com óculos de prisma (desalinhamento pequeno) e / ou cirurgia se o desalinhamento for maior. A cirurgia do estrabismo envolve o reposicionamento do (s) músculo (s) fibrótico (s) dos olhos para melhor alinhá-los. A retração palpebral pode ser melhorada com cirurgia que relaxa os músculos palpebrais e / ou insere material espaçador para reposicionar a pálpebra. A cirurgia palpebral é melhor realizada após a descompressão e / ou cirurgia do estrabismo.

Fonte: https://aapos.org/glossary/thyroid-eye-disorders