LEUCOCORIA / ALTERAÇÃO DO REFLEXO VERMELHO / ALTERAÇÃO DO TESTE DO OLHINHO

O QUE É LEUCOCORIA?

            Leucocoria é quando a pupila (o orifício redondo na parte colorida do olho) é branca em vez do preto usual (Figura 1).

Figura 1: Leucocoria ocorre quando a pupila é branca, em vez do preto habitual.

COMO É DETECTADA A LEUCOCORIA?

            Em casos mais evidentes, a pupila branca pode ser detectada pela simples observação. Em outras situações, ela pode ser percebida apenas em determinadas circunstâncias, como em fotografias com flash, na qual a pupila apresenta um “reflexo branco” anormal quando comparada ao “reflexo vermelho” normal do outro olho.

            Um exame pediátrico de rotina pode detectar a leucocoria, através do Teste do Reflexo Vermelho (TRV), também chamado de teste do Olhinho. Por fim, o exame oftalmológico pode detectar a leucocoria e identificar sua causa.

O QUE É O REFLEXO VERMELHO?

            Quando a luz entra no olho através da pupila, a retina absorve a maior parte da luz. Uma pequena quantidade de luz, no entanto, é refletida pela retina e sai do olho através da pupila. Esta luz é laranja-avermelhada, refletindo a cor da retina normal.

            O reflexo vermelho está ausente, ou branco (com leucocoria) quando há uma anormalidade no olho que impede a luz de chegar à retina e ser refletida.

COMO UM OFTALMOLOGISTA DETECTA A LEUCOCORIA?

            Oftalmologistas podem usar um oftalmoscópio para examinar o interior do olho. O uso de colírios dilatadores são geralmente usados ​​para aumentar a pupila, o que permite um exame mais completo (exame de fundo de olho dilatado) e a identificação da causa da leucocoria.

QUE CONDIÇÕES CAUSAM LEUCOCORIA?

            Muitas condições causam leucocoria, incluindo catarata, descolamento de retina, retinopatia da prematuridade, infecção intraocular (endoftalmite), anormalidades vasculares da retina (como a doença de Coats) e tumor intraocular (retinoblastoma).

            Não é raro um encaminhamento por reflexo vermelho anormal ter um exame oftalmológico normal ou alterações benignas. Mas a presença de alteração no exame TRV ou a suspeita de leucocoria sempre exigem avaliação imediata de um oftalmologista, para um exame cuidadoso (incluindo o exame de fundo de olho dilatado) e para descartar as condições mais preocupantes listadas acima.

A PRESENÇA DE LEUCOCORIA É GRAVE?

            Todas as doenças que causam leucocoria representam uma séria ameaça à visão e algumas representam uma ameaça à vida. A avaliação imediata da leucocoria por um oftalmologista é sempre imprescindível.

COMO É TRATADO A LEUCOCORIA?

            O manejo de leucocoria envolve o tratamento da condição subjacente (catarata, descolamento de retina, infecção, etc.) responsável pela pupila branca.

Fonte: https://aapos.org/glossary/leukocoria