PTOSE CONGÊNITA

O QUE É PTOSE CONGÊNITA?
Uma pálpebra caída, também chamada de ptose, ocorre quando o músculo que eleva a pálpebra (o músculo elevador da pálpebra superior) é fraco. A causa mais comum em crianças é quando o músculo não se desenvolve adequadamente. Se esta condição está presente no nascimento e é chamada de ptose congênita. Menos comumente, o músculo pode enfraquecer mais tarde, causando uma ptose adquirida. A ptose pode envolver uma ou ambas as pálpebras superiores em vários graus, de forma simétrica ou assimétrica.

COMO É O TRATAMENTO DA PTOSE CONGÊNITA
Se a ptose for leve e não interferir no desenvolvimento visual, ela não requer tratamento. Um exame oftalmológico é indicado para avaliar se a ptose interfere na visão e se o tratamento é necessário.

QUAIS AS CONSEQUÊNCIAS DA PTOSE CONGÊNITA?
A pálpebra caída pode causar:

  1. Astigmatismo – Se a pressão da pálpebra na frente do olho causar distorção e erro de refração, pode ser necessário acompanhamento oftalmológico, tratamento com óculos ou mesmo cirurgia.
  2. Elevação do queixo – Se a ptose for grave o suficiente, pode fazer com que a criança adote uma posição com queixo para cima para poder ver abaixo das pálpebras caídas e usar os olhos juntos. Isso pode causar mais problemas no pescoço e / ou atraso no desenvolvimento. A contração do músculo frontal (na testa) para elevar ainda mais a pálpebra superior é um mecanismo compensatório muito comum. Isso também é uma indicação para correção cirúrgica.
  3. Ambliopia (olho preguiçoso) – pode sem consequente ao astigmatismo ou outros erros de refração, ou ao bloqueio da entrada da luz no olho, nos casos mais severos, em que a ptose cobre completamente o olho.

QUAIS AS CAUSAS DA PTOSE CONGÊNITA?
A ptose adquirida pode ser causada por condições neurológicas que afetam os nervos e / ou músculos do olho. Estas incluem miastenia gravis, oftalmoplegia externa progressiva, síndrome de Horner e paralisia do terceiro nervo craniano. A ptose pode ser combinada com distúrbios do movimento ocular que podem gerar visão dupla. Uma massa palpebral também pode causar ptose.
Um exame oftalmológico completo deve ser realizado com atenção especial à história, posição das pálpebras, avaliação da visão, refração e posição da cabeça. Testes especiais, como exames radiográficos (raios-x ou tomografia computadorizada), geralmente não são solicitados.

Crianca com ptose palpebral do olho direito.

Fonte:https://aapos.org/glossary/ptosis

Anterior

Próximo