SÍNDROME DE MONOFIXAÇÃO

A síndrome de monofixação (SMF) é composta por um pequeno desalinhamento (estrabismo) dos olhos (embora, eventualmente, os olhos também possam estar alinhados), uma percepção de profundidade (estereopsia) grosseira e uma leve diminuição unilateral da visão (ambliopia). O distúrbio pode ser primário (ocorrendo durante o desenvolvimento normal) ou secundário (geralmente após cirurgia de correção de estrabismo).

A forma primária é frequentemente descoberta em um exame oftalmológico de rotina, no qual os olhos estão desalinhados, mas não em um grau perceptível ao paciente ou familiares. A visão do paciente normalmente é reduzida levemente no olho não dominante e a percepção de profundidade não está presente ou é reduzida. A forma secundária ocorre mais comumente após a cirurgia de correção de estrabismo horizontal, em que o paciente apresenta um desalinhamento residual de pequeno ângulo. De fato, este é o resultado desejado em muitos casos, uma vez que alcança um alinhamento ocular estável e uma excelente aparência.

Geralmente, não é indicado tratamento para SMF, a menos que haja uma quantidade significativa de ambliopia (e o paciente seja jovem o suficiente para uma possível melhora) e / ou o alinhamento ocular seja instável, perceptível ou sintomático (causando visão dupla). As modalidades de tratamento incluem terapia de oclusão, uso de prismas e cirurgia de correção de estrabismo.

https://aapos.org/glossary/monofixation-syndrome-mfs