SÍNDROME DUANE

O QUE É A SÍNDROME DE DUANE?

A síndrome de Duane é um tipo de estrabismo congênito e não progressivo devido ao desenvolvimento anormal do sexto nervo craniano. É caracterizada pela dificuldade de direcionar um ou ambos os olhos para fora (abdução) ou para dentro (adução). Também pode haver alterações na posição das pálpebras na tentativa de movimento dos olhos.

QUAL A CAUSA DA SÍNDROME DE DUANE?

A síndrome de Duane é causada pela conexão incorreta dos nervos nos músculos oculares. Na síndrome de Duane, o sexto nervo craniano que deveria controlar o músculo reto lateral (o músculo que vira o olho em direção à orelha) não se desenvolve adequadamente. Assim, o problema não está no músculo ocular, mas no nervo que o controla. Pode haver também a conexão incorreta do terceiro nervo craniano, que normalmente controla o músculo reto medial e passa a controlar também o reto lateral. As anormalidades podem ser encontradas no olhar para esquerda e/ou direita em um ou ambos os olhos.

QUEM APRESENTA A SÍNDROME DE DUANE?

A grande maioria dos casos ocorre espontaneamente e na maioria das vezes (80% dos casos) afeta apenas um olho. Por razões desconhecidas, o olho esquerdo é mais envolvido do que o olho direito. A síndrome de Duane afeta as meninas com mais frequência do que os meninos e 30% dos casos estão associados a outras anomalias congênitas.

QUAIS SÃO AS CARACTERÍSTICAS DA SÍNDROME DE DUANE?

– Estrabismo: os olhos podem estar desalinhados e apontar em direções diferentes;

– Posição da cabeça: os pacientes costumam manter uma postura anormal da cabeça ou virar a cabeça para manter os olhos retos;

– Ambliopia (olho preguiçoso): ocorre em 10% dos pacientes;

– Estreitamento da fenda palpebral: o olho afetado pode parecer menor que o outro olho;

– Movimentação ocular anômala: com certos movimentos oculares, o olho pode ocasionalmente se desviar para cima ou para baixo.

A SÍNDROME DE DUANE É CONGÊNITA (PRESENTE AO NASCIMENTO)?

A síndrome de retração de Duane está presente desde o nascimento, mesmo que não seja reconhecida durante a infância. Uma postura anormal da cabeça e estrabismo são frequentemente visíveis em fotografias antigas tiradas na primeira infância.

A SÍNDROME DE DUANE É HEREDITÁRIA?

Na maioria das vezes, não é hereditária. Somente em 10% dos pacientes terão um membro da família afetado e esses tendem a ser casos em que ambos os olhos estão envolvidos.

EXISTEM TIPOS DIFERENTES DE SÍNDROME DE DUANE?

A síndrome de Duane é frequentemente caracterizada pelo fato de a anormalidade primária ser uma capacidade reduzida de virar o olho afetado para fora (tipo I), para dentro (tipo II) ou ambos (tipo III). O tipo I é a forma mais comum de síndrome de Duane e os pacientes afetados apresentam a cabeça virada para o lado envolvido e parecem esotrópicos (desvio dos olhos em direção ao nariz) ao olhar para a frente.

OS PACIENTES COM SÍNDROME DE DUANE TÊM OUTROS PROBLEMAS OCULARES?

O problema com o sexto nervo craniano é geralmente uma condição isolada. Em geral, com acompanhamento cuidadoso, a criança apresenta boa visão.

Ocasionalmente, a síndrome de Duane pode ser encontrada em associação com outros problemas oculares, incluindo distúrbios de outros nervos cranianos, nistagmo (movimento involuntário do olho), catarata, anormalidades do nervo óptico, microftalmia (olho anormalmente pequeno) e lacrimejamento.

OS PACIENTES COM SÍNDROME DE DUANE TÊM OUTROS PROBLEMAS MÉDICOS?

Alguns pacientes com síndrome de Duane têm outros problemas, como deficiência auditiva, síndrome de Goldenhar e anormalidades da coluna vertebral. Há também um aumento da frequência da síndrome de Duane nos pacientes com exposição à talidomida.

QUANDO A SÍNDROME DE DUANE DEVE SER TRATADA?

O objetivo do tratamento é restaurar o alinhamento satisfatório dos olhos ao se olhar em frente, eliminar uma postura anormal da cabeça e prevenir a ambliopia. 

A maioria dos pacientes com síndrome de Duane não requer tratamento cirúrgico, ele será indicado na presença das características descritas abaixo:

– Reduzir um desvio significativo no olhar em frente (posição primária);

– Eliminar uma posição anormal significativa da cabeça;

– Eliminar uma movimentação ocular anômala significativa (movimentos de subida e descida do olho);

– Eliminar o estreitamento anormal da fenda palpebral. 

O QUÃO BEM SUCEDIDA É A CIRURGIA NA SÍNDROME DE DUANE?

A cirurgia é incapaz de restaurar os nervos que estão mal conectados, porém pode compensar seu efeito através da cirurgia dos músculos (cirurgia de estrabismo). Desta forma, apesar da cirurgia poder melhorar substancialmente a situação, ela não pode corrigir o movimento anormal dos olhos. O efeito total da cirurgia pode levar algumas semanas para se tornar aparente.

https://aapos.org/glossary/duane-syndrome