TOXOPLASMOSE

O QUE É TOXOPLASMOSE?

A toxoplasmose é uma doença resultante da infecção pelo parasita Toxoplasma gondii. Nos olhos, as infecções por toxoplasma frequentemente causam inflamação significativa e cicatrizes subsequentes, que podem prejudicar temporária ou permanentemente a visão. A infecção pode ser transmitida através de mães grávidas ao bebê (congênita) ou adquirida pela ingestão de alimentos contaminados ou de carne mal cozida. Em todo o mundo, a toxoplasmose é a causa mais comum de inflamação na parte posterior do olho (uveíte posterior). Vinte e dois por cento das crianças nos Estados Unidos com menos de 12 anos de idade têm evidências de infecção prévia por toxoplasmose, embora a maioria nunca tenha tido sintomas.

O QUE É TOXOPLASMOSE CONGÊNITA?

A toxoplasmose congênita é transmitida da mãe para o feto através da placenta durante a gravidez. Mulheres transmitem o organismo Toxoplasma ao feto se forem infectadas durante a gravidez ou imediatamente antes da gravidez. Isso pode acontecer mesmo que a mãe não tenha sinais ou sintomas de infecção. A infecção no primeiro trimestre da gravidez tem uma menor taxa de transmissão ao feto do que a infecção no terceiro trimestre, mas tem consequências mais graves. A transmissão intrauterina ocorre em cerca de 1/3 das gestações de mulheres com infecção aguda e medicamentos como a espiramicina, administrados no início da gravidez, podem reduzir pela metade esta taxa. Nos Estados Unidos, a infecção congênita ocorre em cerca de 1 / 1.000 a 1 / 10.000 nascidos vivos (ou 500 a 5000 casos por ano) e geralmente resulta em cicatrizes da retina em ambos os olhos. Estrabismo, microftalmia, catarata, atrofia óptica e nistagmo também podem estar associados a casos congênitos.

Figura 1: Fotografia de uma retina normal
Figura 2: Fotografia de uma retina com cicatriz macular de toxoplasmose congênita.

COMO A TOXOPLASMOSE É PODE SER ADQUIRIDA POR UM ADULTO?

O organismo Toxoplasma reside no trato intestinal de muitos animais, principalmente gatos. Eles são eliminados nas fezes e contaminam o solo e a água. Animais, como ovelhas e gado, podem ser infectados quando pastam e podem transmitir a doença para humanos que comem suas carnes mal cozidas. O risco de infecção pode ser minimizado praticando-se uma boa higiene, incluindo lavagem das mãos (especialmente antes de preparar ou comer alimentos) e evitando a ingestão de carne crua ou mal cozida e vegetais não lavados. Países com ambientes quentes e úmidos têm um número maior de casos. Recomenda-se que as mulheres grávidas evitem manusear caixas de areia para gatos ou fezes de gatos. Pacientes imunocomprometidos (incluindo aqueles com AIDS, câncer ou que tomam medicamentos imunossupressores) correm maior risco se adquirirem toxoplasmose, pois a doença é mais grave e pode até ser fatal.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DA TOXOPLASMOSE ADQUIRIDA EM UM ADULTO?

Mais de 80% das pessoas recém-infectadas não apresentam sintomas. Os sintomas podem ocorrer após um período de incubação de uma a duas semanas após a exposição e incluem febre leve, glândulas inchadas, mal-estar, dores musculares e / ou articulares, dor de cabeça, dor de garganta e erupção cutânea. Os sintomas oculares variam, mas podem incluir visão turva ou moscas volantes durante a doença ativa. Pode-se notar inchaço no fígado ou baço e, em casos raros, pulmões, cérebro, fígado ou coração podem estar envolvidos. A condição geralmente desaparece sem tratamento dentro de alguns meses.

O diagnóstico pode ser confirmado através da detecção de anticorpos para Toxoplasma no sangue. 

COMO É TRATADA A TOXOPLASMOSE ADQUIRIDA?

A maioria dos casos geralmente é autolimitada e raramente requer tratamento. Se o envolvimento dos órgãos internos for grave, o tratamento com antibióticos é considerado. Se a infecção for reconhecida durante a gravidez, o tratamento pode ser usado para reduzir o risco de transmissão materno-fetal. Se a visão estiver ameaçada (Figura 3), o tratamento com pirimetamina, sulfadiazina e corticosteroides pode ser iniciado. A reativação da doença ocorre frequentemente mesmo com o tratamento.

Figura 3: Fotografia de fundo de olho com lesão ativa de Toxoplasmose adquirida próxima ao nervo óptico.

QUAIS SÃO OS SINAIS E SINTOMAS DA TOXOPLASMOSE CONGÊNITA?

A maioria dos casos de toxoplasmose congênita é assintomática e, inicialmente, não é identificada. Casos graves se assemelham a outras infecções intrauterinas agudas, como rubéola ou citomegalovírus, com presença de prematuridade, baixo peso ao nascer, hidrocefalia, convulsões, aumento do fígado ou baço e icterícia. Evidências de infecção retiniana podem ser encontradas em 75-80% dos bebês infectados e a doença afeta os dois olhos em 85% dos casos.

O QUE ACONTECE COM OS OLHOS DE BEBÊS NASCIDOS COM TOXOPLASMOSE CONGÊNITA?

A infecção pode causar inflamação na retina que normalmente se resolve espontaneamente, no entanto, pode deixar uma cicatriz coriorretiniana que afeta a visão caso envolva a porção central da retina (mácula).

QUAIS SÃO AS CONSEQUÊNCIAS A LONGO PRAZO DA TOXOPLASMOSE OCULAR CONGÊNITA?

As cicatrizes coriorretinianas da toxoplasmose ocular congênita geralmente não são ativas. No entanto, os organismos Toxoplasma nelas encistados podem reativar causando inflamação, dor, vermelhidão, sensibilidade à luz, visão turva e aumento da pressão intraocular. 

QUAIS SÃO AS OPÇÕES DE TRATAMENTO PARA A REATIVAÇÃO DA TOXOPLASMOSE OCULAR?

Casos leves que não ameaçam a retina central (mácula) podem ser resolvidos sem tratamento. Em casos mais graves, a duração do episódio inflamatório pode ser reduzida pelo tratamento com várias combinações de antibióticos (pirimetamina, sulfadiazina, azitromicina, sulfametoxazol-trimetoprim ou clindamicina). Colírios esteroides ou esteroides sistêmicos podem ser usados ​​para reduzir a inflamação.

https://aapos.org/glossary/toxoplasmosis